Festival Timbre 2012



Do dia 19 ao dia 23 de setembro aconteceu em Uberlândia - MG a 1ª edição do Festival Timbre no qual tive a honra de participar dos bastidores e poder fotografa-lo.

Com bandas de todos os locais do Brasil ele conseguiu colocar nossa cidade novamente no circuito da cena da música independente, com bandas como: Porcas Borboletas, Los Porongas, Vanguart, Vivendo do Ócio, O Berço, The Baggios, Tarso Miller and The Wild Comets, Mundo livre S/A e várias outras, todas reunidas em uma grande festa.

Parabéns ao Timbre Cultural e ao Arte na Praça pela promoção e movimentação do festival. Foi uma honra poder fazer parte do todo e estar ao lado de pessoas de pura competência espero que gostem do que presenciei e senti nesses três dias intensos de muita arte, cultura e FOTOS.

Como vai funcionar?

Todos os dias a partir do dia 3 de outubro, quarta-feira, postarei as fotos feitas no festival. Os posts serão divididos por cada dia (Dia 1, 2 e 3) e por bandas.

Cada post/banda terá um SET de 10 fotos principais e um link para que possam baixar todas as outras. (Que não estarão no SET)

A minha gratidão pela oportunidade de poder fazer parte de tudo isso.


Até dia 03/10. 

Chapada Diamantina. Em breve. 

Chapada Diamantina. 

Em breve. 

A colisão entre o caminho o caminhar e o caminhante. on Flickr.Do celular em Florianópolis - SC

A colisão entre o caminho o caminhar e o caminhante. on Flickr.

Do celular em Florianópolis - SC

Os terríveis + Buguinha Dub.

Sexta dia 23|12 foi dia do útimo Sexta Reggae do ano.

Parabéns a organização, pela movimentação incansável do cenário musical e cultural uberlandense.

Os terríveis e Buguinha Dub, tocaram as vibrações pesadas pra lá e fizeram geral transcender. Um salve para mais desse tipo em 2012. 

Terrível seria não ter ido. 

Fiquem com alguns cliques.

Os Terríveis

Buguinha Dub









"BUENA ONDA SOCIAL CLUB" o Retorno

Para imaginar: você dirige até uma estrada de terra passando por uma cidade de no máximo 2000 habitantes, Vai olhando a escuridão do cerrado e de repente ve vários carros parados no meio do nada, olha pra sua esquerda e ve uma pedra toda iluminada, nela tem algumas pessoas penduradas e em baixo outras com os braços levantados aos berros. Vamo monstro, morde esse reglete! Vai muleque, dá gana! Vamo Vamo Vamo, iiissso, respira! KAMON! VENGA!

Agora imagine mais uma vez: uma casa maravilhosa, muito grande com Slack Line sob a piscina, chuveiro quente, mesa de ping pong, música boa na vitrola, uma banda ótima em um show privado e um monte de gente interessante dos 4 cantos do Brasil hospedados nela.

Então esse foi o Rockocal 2011

Quem venham mais.

"Parabéns"

Ali na minha frente só se podia ver muito concreto e algumas poucas árvores, mas mesmo assim nada deixou de ser belo, reparei na engenhosidade humana com suas complexas construções e na loucura em que nos inserimos, na separação que deixamos acontecer com o todo e na nossa mania de estarmos sempre atrasados. Ao longe ouvia os ruídos urbanos, motores, conversas, sirenes e buzinas.

Lá em baixo a cidade ardia, turbulenta, rápida e intensa, aqui em cima o sol me levava a um total êxtase de calmaria.

Assim sigo, nem dentro, nem fora, apenas flutuando!

Pelo ponto de vista da comemoração devo lhe dar os parabéns, por outros deveria ficar calado. 

Mas ainda assim gosto de você, Uberlândia.

Pôr do sol na praça Tubal Vilela.

Sobre as rochas e aqueles que sobem nelas…

Dentro do carro o assunto não é outro a não ser escalada, todos estão muito ansiosos para ver de perto aquelas paredes de pedra. Da porta de casa até entrarmos na estrada de terra foram mísero 100 minutos. Nela  percorremos um pequeno trecho entre as montanhas de Araxá e de repente, gritos e palmas, finalmente avistamos a formação de quartzito impar da Serra da Bocaina, da estrada, podemos ver os vários setores que compõe a grande parede, alguns já desvendados pelos escaladores locais e outros ainda por serem descobertos, a mais nova missão deles é chegar a 150 vias até o final do ano. Um verdadeiro parque de diversões pra nós.

Estamos muito felizes os dois dias de “intensivão vertical” tem tudo para ser maravilhoso e será.

A escalada é um esporte singular e vai além do desenvolvimento de habilidades físicas, trabalha faculdades mentais importantíssimas e nos coloca frente a frente com o medo e com os limites que nós mesmos nos colocamos. Quando estamos lá grudados naquela rocha, nos propomos a ir ao limiar, na fronteira entre a dor e o bem estar, entre a tensão e o prazer, entre a  confiança e a dúvida. Subindo essas pedras aprendemos com elas. É como se fossem livros muito antigos e recheados de muita sabedoria que nos ensinam a cada vírgula. 

Copiando Mark Jenkins no final de sua matéria sobre os escaladores de Yosemite (EUA):  

"essas pessoas vieram ao vale para medir forças com a rocha. E elas sabem que essas paredes são espelhos gigantes que refletem sem dó o que cada escalador tem por dentro."

Concordo…

Pra quem quizer sabre mais sobre escalada é só clicar aqui Vertical Escalada

Vamos falar sobre liberdade…

Sinceramente acho que ser livre é algo muito subjetivo, foge à alçada de determinações filosóficas, verbais, líricas, poéticas, artísticas, musicais e quaisquer outras que pretendam explicá-la.

Sartre, Schopenhauer, Marx, Spinoza, Huxley e outras cabeças pensantes dessa nossa terra, discorreram sobre o tema, mas será que podemos dizer que ela existe de fato? O que faz o ser humano livre? O que você faria se conseguisse tomar as rédeas da própria vida? E quando as perguntas ficam mais profundas e indagam: Será eu, servo de mim mesmo?

É nesse momento em que uma voz grave diz: “é filho, o buraco é mais embaixo”.

Meu desejo é que continuemos nos movimentando. O movimento em si traz informações, nas informações mais opções, e ter opções implica em poder escolher. 

Faça as suas!

Marcha da Liberdade - Uberlândia, MG


Lopez photoday

Semana passada Eu (Peruzzo), o “singer, composer and going producer” André Lopez e minha querida irmã Karu Peruzzo saímos antes que o sol despontasse no horizonte para fotografar.


O objetivo da saída fotográfica era retratar a nova jornada musical do  Sr. Lopez, que tem em sua configuração riquíssimos projetos.

 

Eu pirei no resultado, tem fotos lindíssimas, as que irei mostrar agora são as que foram deixadas de stand by, pois as escolhidas vocês iram conhecer mais adiante.

Um abraço e fiquem com as fotos:



Toda terça no ilha do sol:

Agredecimentos especiais ao comparsa Rogério Custódi pela força!